Ministério da Cidadania e Caixa Seguradora apresentam:

A- A+
06/03/2019 15:30:37

Bibi Ferreira: a despedida dos palcos.

Na área cultural, fevereiro foi marcado pela morte de Bibi Ferreira. Eu Faço Cultura abrigou o espetáculo “Bibi, uma vida em musical”, de Artur Xexéo e Luanna Guimarães, na vitrine.

Cantora, compositora, atriz e diretora, Bibi Ferreira entrou para a história como a “grande diva” do teatro brasileiro. Filha do ator e diretor Procópio Ferreira e da bailarina espanhola Aída Izquierdo, Bibi subiu aos palcos pela primeira vez com apenas 20 dias de idade, em 1922, quando substituiu uma boneca que havia desaparecido, no espetáculo “Manhãs de sol”.

A estreia profissional viria em 1941, na peça “La locandiera”. Já a aposentadoria foi anunciada em setembro do ano passado, depois de 77 anos de carreira. Na ocasião, por meio de nota oficial, Bibi disse que nunca havia pensado em parar de trabalhar.

“Essa palavra [parar] nunca fez parte do meu vocabulário, mas entender a vida é ser inteligente. Fui muito feliz com minha carreira. Me orgulho muito de tudo que fiz. Obrigada a todos que de alguma forma estiveram comigo, a todos que me assistiram, a todos que me acompanharam por anos e anos. Muito obrigada”, anotou.

Bibi morreu no dia 13 de fevereiro deste ano, aos 96 anos de idade, de parada cardíaca.

Entre suas principais apresentações, estão "Gota d'Água", de Chico Buarque e Paulo Pontes; "Minha Querida Dama" (versão brasileira do clássico americano "My Fair Lady", com Paulo Autran); "O Homem de La Mancha", "Alô Dolly" e "Piaf, a Vida de uma Estrela da Canção".

Na plataforma Eu Faço Cultura, a diva foi representada no espetáculo “Bibi, uma vida em musical”, de Artur Xexéo e Luanna Guimarães.

Trabalhando...